quinta-feira, 28 de março de 2013

Mercado de trabalho - a extroversão.


Via: Cursos & Profissões

Às vezes pessoas excessivamente extrovertidas podem causar algum problemas no ambiente de trabalho. Essa postura pode ir de encontro com características de personalidade divergentes da sua e causar problemas irreparáveis.
Ter o bom senso entre se relacionar bem e respeitar as características dos amigos de trabalho é essencial. Tatiana Kielberman nos dá algumas dicas que merecem ser analisadas:
"[...] se você está entrando agora em uma empresa, 'escaneie' o ambiente antes de tomar atitudes. Analise o perfil de seus colegas, veja como eles se relacionam no dia-a-dia e tente se adequar da melhor maneira, sem deixar sua personalidade de lado, mas se adaptando às exigências do espaço que está te recebendo!
A extroversão deve se manter sempre como um ponto ao seu favor! Não deixe que ela se exceda e atrapalhe seus objetivos de carreira!"


Fonte: Grupo Foco.

Garotinha encanta o mundo com seu talento no piano.

Lavínia Ramires nasceu numa família sem tradição musical, ganhou um piano de brinqueno no Natal e de lá para cá os pais perceberam que ela só ficava na frente do piano, perguntaram a ela se queria aprender a tocar um piano de verdade, a garota confirmou que sim.
Em apenas 6 meses ela já estava apresentando um peça ao público. O professor de Lavínia se diz admirado com tamanha capacidade para aprender. A menina já está sendo chamada de Mozart.    


Com informações e imagens: Mail Online.

Bolsas de mestrado e doutorado terão reajuste.


Mariana Tokarnia
Repórter da Agência Brasil
Brasília - As bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado ofertadas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) terão reajuste de cerca de 10% sobre o valor atual. O pagamento com os novos valores será feito a partir de maio.
De acordo com publicação no site do Ministério da Educação (MEC), a partir de 1º de abril, a bolsa de mestrado passará de R$ 1.350 para R$ 1.500, a de doutorado, de R$ 2.000 para R$ 2.200 e a bolsa de pós-doutorado será reajustada de R$ 3.700 para R$ 4.100.
O último reajuste ocorreu em maio do ano passado, quando o governo federal concedeu um reajuste também de 10% para mestrandos, doutorandos, pós-doutorandos e alunos de iniciação científica. O reajuste, de acordo com o MEC, faz parte da política para aumento do número de mestres e doutores na educação superior.
Em 2008, pela Capes, havia cerca de 40 mil bolsistas no país. Em 2011, foram concedidas 72.071 bolsas de pós-graduação e 30.006 pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid). Em 2012, foram mais de 127 mil bolsas em todas as modalidades. O CNPq, em todas as modalidades, no mesmo período, aumentou a oferta de bolsas de 63 mil para cerca de 81 mil.
Edição: Fábio Massalli

Desmatamentos na Amazônia Legal.


Heloisa Cristaldo. Repórter da Agência Brasil
Brasília – Os alertas de desmatamento na Amazônia Legal subiram 26%, entre 1º de agosto de 2012 e 28 fevereiro de 2013, em comparação ao mesmo período do ano passado, informou hoje (28) o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).
Os dados foram registrados pelo Deter, sistema de detecção de desmatamento em tempo real do Inpe, que usa imagens de satélite para analisar a perda da Floresta Amazônica em nove estados. Eles incluem a degradação, referente ao desmatamento parcial da floresta, e o corte raso, quando há desmatamento total da área e o solo fica exposto. No total, foram registrados alertas de desmatamento ou degradação nos últimos seis meses em 1.695,27 quilômetros quadrados da floresta.
Segundo o diretor de Proteção Ambiental do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Luciano de Menezes Evaristo, o índice divulgado hoje ainda não comprova o aumento de desmatamento na região.
“Não se pode dizer que com o aumento de alertas houve o aumento de desmatamento. Isso porque o Deter, que tem um componente de degradação florestal que pode se tornar ou não em desmatamento. Temos que aguardar o período Prodes [Programa de Cálculo do Desflorestamento da Amazônia] em julho para ser definido se aquela degradação foi realmente corte raso [desmatamento]”, explicou.
Os campeões da lista de alertas de desmatamento são os estados de Mato Grosso, do Pará e de Rondônia. O Acre teve uma redução de 84% nos alertas - no período analisado em 2012, foram 28, e este ano, apenas quatro.
“Mato Grosso e Pará sempre foram os campeões do desmatamento. Esses alertas podem estar sendo impulsionados pelo boom das commodities, pelo aumento do preço da terra e pode ter havido uma pressão maior no mês de julho. Mas a administração ambiental reagiu, mudou as estratégias e trouxemos de novo sob o controle qualquer ameaça [de degradação da floresta]”, disse Evaristo.
Com o acréscimo de alertas para fiscalização, o Ibama adotou novas estratégias e apreendeu no mês de fevereiro R$ 15 milhões em toras de madeira. As ações da Operação Onda Verde superaram, em apenas um mês de fiscalização no oeste paraense, o volume de madeira em tora ilegal apreendido em 2012 em todo o estado. A operação tem ações em áreas críticas, que respondem a 54% de todo o desmatamento da Amazônia Legal, em Mato Grosso, Amazonas e em Rondônia e já retirou de circulação mais de 65 mil metros cúbicos de toras ilegais.
“Para onde o desmatamento caminhar, através dos alertas que o Inpe nos passar pelo Deter, nos encaminharemos para as nossas bases para conter o desmatamento. E o grande alento deste ano, entramos a partir de janeiro e em fevereiro fizemos grandes apreensões de madeira. Só no Pará, quase 22 mil m³ de tora foram apreendidos no mês de fevereiro, pegamos todos os desmatadores que fazem o corte seletivo na floresta de surpresa, na chuva, mais de 100 tratores foram apreendidos”, destacou o diretor. De acordo com Evaristo, as ações não tem data para terminar.
 Edição: Carolina Pimentel

Brasil é o país com o maior número de empregadas domésticas do mundo.


Via : Pravda.

BRASILIA/BRASIL - O Brasil tem 7,2 milhões de empregados domésticos, sendo 6,7 milhões de mulheres e 504 mil homens, e aparece como o país com a maior população de trabalhadores domésticos do mundo em números absolutos, segundo estudo feito em 117 países e divulgado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).
Por ANTONIO CARLOS LACERDA
O estudo não traz números da China, país de maior população mundial. Depois do Brasil, aparecem a Índia com 4,2 milhões e a Indonésia com 2,4 milhões.
De acordo com o relatório, 17% das mulheres que trabalham no Brasil realizam tarefas domésticas, percentual um pouco abaixo do registrado em países vizinhos como Argentina (18,3%) e Uruguai (18,5%), além de Costa Rica (17,3%) e Ilhas Cayman (17,3%), na América Latina e Caribe, e maior, por exemplo, que Chile (14,3%), Colômbia (13%), Venezuela (14,4%) e México (10,3%).

Entre meados dos anos 1990 e 2010, houve um incremento de mais de 19 milhões de trabalhadores domésticos - muitos migrados de outros países em busca de trabalho. A OIT informa que é provável que os números do relatório sejam subestimados, pois na verdade poderiam ser dezenas de milhões a mais.
Números mundiais
52,6 milhões é o total de trabalhadores domésticos
83% são mulheres
29,9% estão excluídos da legislação laboral nacional
45% não têm direito a período de descanso semanal ou férias anuais remuneradas
Mais da terça parte das trabalhadoras domésticas não têm direito à proteção à maternidade
Números regionais
Ásia e Pacífico: 21,4 milhões de trabalhadores domésticos
América Latina e Caribe: 19,6 milhões
África: 5,2 milhões
Países desenvolvidos: 3,6 milhões
Oriente Médio: 2,1 milhões
Os números também excluem as crianças trabalhadoras domésticas menores de 15 anos que não estão incluídas nas pesquisas utilizadas pelo relatório. Em 2008, esse número foi estimado pela OIT em 4,7 milhões.
"Aos trabalhadores domésticos frequentemente se exige que trabalhem mais horas que outros trabalhadores e em muitos países não desfrutam do mesmo direito ao descanso semanal que outros trabalhadores. Junto à falta de direitos, a dependência extrema de um empregador e a natureza isolada e desprotegida do trabalho doméstico podem torná-los vulneráveis à exploração e ao abuso", diz Sandra Polaski, subdiretora geral da OIT.
Legislação não inclui todos
O relatório é divulgado depois da adoção, em junho de 2011, de uma nova convenção e recomendação da OIT sobre trabalho doméstico. As novas normas internacionais têm o objetivo de garantir condições de trabalho e remuneração decente para os trabalhadores domésticos em todo o mundo. A OIT informa que as conclusões do relatório servirão como ponto de referência que permitirá medir os progressos da extensão da proteção legal.
De acordo com a OIT, somente 10% de todos os trabalhadores domésticos estão cobertos pela legislação de trabalho nacional e 29,9% estão completamente excluídos da legislação.
Mais da metade de todos os trabalhadores domésticos não tem limites em seu horário normal de trabalho na lei nacional e cerca de 45% não têm direito a períodos de descanso semanais. Pouco mais da metade de todos os trabalhadores tem direito a um salário mínimo equivalente ao de outros trabalhadores.
Para a OIT, a falta de proteção legal aumenta a vulnerabilidade dos trabalhadores domésticos. Como resultado, frequentemente recebem salários inferiores a de outros trabalhadores em ocupações e horas de trabalho comparáveis.
A organização afirma que os trabalhadores domésticos devem ter os mesmos direitos fundamentais que os demais trabalhadores. Os direitos incluem horas de trabalho razoáveis, descanso semanal de pelo menos 24 horas consecutivas, limite aos pagamentos em espécie, informação clara sobre os termos e condições de trabalho e respeito aos princípios e direitos fundamentais no trabalho, incluindo a liberdade sindical e o direito à negociação coletiva.
"A precária situação legal dos trabalhadores domésticos e sua falta de conhecimento do idioma e das leis locais os tornam especialmente vulneráveis às práticas abusivas, como a violência física e sexual, o abuso psicológico, a falta de pagamento dos salários, à escravidão por dívida e às condições de vida e de trabalho impróprias", diz a OIT em seu relatório.
Ainda de acordo com a entidade, os trabalhadores que residem na casa do empregador são especialmente vulneráveis à exploração, já que frequentemente o salário que recebem é fixo e não leva em conta as horas trabalhadas. Na prática, significa que um trabalhador doméstico está disponível quando quer que se necessite.
"As grandes disparidades entre os salários e as condições de trabalho dos trabalhadores domésticos comparados com os outros trabalhadores no mesmo países enfatizam a necessidade de ação em nível nacional por parte de governos, empregadores e trabalhadores para melhorar a vida laboral destas pessoas vulneráveis, mas muitos trabalhadoras", diz Sandra.
ANTONIO CARLOS LACERDA é correspondente internacional do PRAVDA.RU

sexta-feira, 22 de março de 2013

Rio de Janeiro. Violência na desocupação de museu.


Flavia Vilela e Akemi Nitahara
Repórteres da Agência Brasil

Rio de Janeiro – As defensorias públicas do Estado e da União, o Ministério Público da União e parlamentares que participaram da negociação de saída dos ocupantes do antigo Museu do Índio, na zona norte do Rio, anunciaram que vão entrar com medidas legais contra o governo fluminense por abuso de poder e violência.
De acordo com depoimentos à Agência Brasil, autoridades públicas, índios e simpatizantes da causa foram agredidos durante a operação policial. O defensor público federal Daniel Macedo disse que foi pego de surpresa pela tropa de choque, “que saiu atirando para cima e jogando gás de pimenta de maneira indiscriminada”.
O defensor adiantou a estratégia jurídica do processo. “Primeiramente, entraremos com provas documentais para apurar as responsabilidades,” informou. “Sem necessidade, atiraram em mim, o gás de pimenta acertou no procurador, nos defensores, não faz sentido isso, a negociação era frutífera”, denunciou Macedo.
Mais tarde, em entrevista coletiva à imprensa, o defensor informou que requisitará as imagens das emissoras de TV que acompanhavam a ação, para tentar identificar de quem partiu a ordem para a invasão.
“Vamos solicitar essas imagens à imprensa para a gente tentar identificar de quem partiu esse comando e essas atitudes truculentas. A partir daí, eventualmente representar eles por ato de abuso de autoridade, ou seja, representar o Ministério Público, para que mova uma ação penal por ato de abuso de autoridade. Além disso, vamos oficiar a Corregedoria da Polícia Militar para que as responsabilidades sejam apuradas”, disse.
O deputado estadual Marcelo Freixo, que é presidente da Comissão de Direitos Humanos, saiu com os olhos vermelhos e lacrimejantes de dentro do museu. Ele classificou a atitude da Polícia Militar como inadmissível. “A polícia agiu com enorme truculência e desrespeito com quem está aqui trabalhando. Não estou aqui desde as 4h da manhã ajudando nas negociações para tomar spray de pimenta na cara, para ser insultado. A polícia precisa acabar com essa tradição de violência”.
Freixo lembrou que a decisão judicial determinava que o prédio fosse desocupado sem violência. Além disso, a desocupação estava ocorrendo e as crianças e mulheres já estavam nas vans da Secretaria Estadual de Assistência Social. “Estávamos a um detalhe de conseguir com extremo sucesso o que determina a medida judicial”.
Enquanto, do lado de dentro, os últimos índios e apoiadores eram retirados à força por policiais, do lado de fora, bombas de efeito moral e gás de pimenta foram usados contra os manifestantes que haviam obstruído a principal via da região.
A imprensa também foi atingida e alguns repórteres passaram mal com o gás. O fotógrafo de O Globo, Pablo Jacob, foi ferido por uma bomba de efeito moral na perna e teve a calça queimada. Alguns militares reagiram com força física aos insultos de manifestantes.
O porta-voz da Polícia Militar, o coronel Frederico Caldas, negou que tenha havido truculência na operação policial, e argumentou que o uso da força foi feito para evitar um incêndio dentro do prédio. “Os índios saíram e os que ficaram lá alegaram que estavam fazendo uma resistência cultural. Um discurso ideologizado e político. Percebemos claramente que não haveria mais negociação, principalmente quando eles colocaram fogo no prédio”, declarou.
O coronel disse também que houve a utilização de força necessária para desobstruir as ruas, fechadas, segundo ele, por um “bando de agitadores”. Alguns manifestantes foram presos, mas o coronel não soube informar o número de detidos.
Freixo e Macedo disseram, na entrevista coletiva à imprensa, que a alegação da Polícia Militar de que entrou no prédio para evitar o incêndio não procede, pois, segundo eles, os bombeiros já tinham controlado o fogo e os policiais só entraram depois.
O índio Kaiah, da etnia Waiwai, no Pará, estava dentro da propriedade quando a Tropa de Choque da Polícia Militar entrou. “A gente estava batendo o maracá, fazendo um canto de despedida da Aldeia Maracanã. Foi quando a polícia entrou dando tiro para cima, usando spray de pimenta, a gente já ia sair, era o último canto, para sairmos sentindo os espíritos que existem aqui dentro”.
A Avenida Radial Oeste ficou interditada durante cerca de uma hora. O edifício, antes ocupado por cerca de 30 pessoas, agora está sob a guarda do 4º Batalhão, por tempo indeterminado. Alguns índios foram enviados para o Hotel Acolhedor Santana 2, no Centro.
Segundo a Secretaria Estadual de Assistência Social, está prevista uma visita dos índios a três locais de moradia temporária: Jacarepaguá, Bonsucesso e Visconde de Niterói. Pela proposta do governo do estado, os índios podem decidir pelo recebimento do benefício do aluguel social, no valor de R$ 400, ou podem voltar para a aldeia de origem, com ajuda para o transporte.
No meio da tarde, um protesto em frente à Assembleia Legislativa tumultuou o tráfego no centro da cidade. Por volta das 15h30 os manifestantes começaram a fazer bloqueios na Rua Primeiro de Março, liberando a passagem de veículos a cada 15 minutos. Houve confronto com a polícia, que usou spray de pimenta, e cinco pessoas foram presas, entre elas um índio que morava na Aldeia Maracanã. Uma policial militar teve escoriações leves e dois veículos ficaram danificados, um táxi e uma viatura de polícia que ficou com o para-brisa destruído.

Alterada às 20h25 para acréscimo de informações
Edição: Davi Oliveira

terça-feira, 19 de março de 2013

Curso de libras em Rio Preto.

A Prefeitura de São José do Rio Preto oferecerá curso de libras, o curso é gratuito e composto de dois módulos: básico e intermediário.
As informações são do Portal G-1 Rio Preto/Araçatuba.

Foto: Ricardo Boni

"A prefeitura de São José do Rio Preto (SP) está com inscrições abertas para o curso de Libras, a linguagem de sinais. O curso é gratuito e tem dois módulos, o básico e o intermediário. As aulas são destinadas a todos os interessados: pais e familiares de surdos, professores, funcionários públicos.
Para se inscrever é necessário apresentar uma cópia do RG, comprovante de escolaridade, informar profissão e o telefone para contato. É importante que o candidato indique qual o módulo de seu interesse. As vagas serão preenchidas de acordo com a ordem de chegada.
Ao todo são 50 vagas para o módulo básico e outras 25 vagas para o nível intermediário, destinadas para aqueles que concluíram o curso em 2012 ou que possuem o certificado do curso básico. As aulas terão início no dia 27 de março, com 20 encontros com três horas de duração.
O curso será na sede da Secretaria Direitos e Políticas para Mulheres, Pessoas com Deficiência, na rua Eduardo Nielsen, 420, bairro Jardim Congonhas, das 19 às 22h. O curso tem como objetivo habilitar pessoas como usuários da língua brasileira de sinais, buscando facilitar a comunicação." 

domingo, 17 de março de 2013

Seleção de bolsista na região noroeste - Sebrae e CNPq.

A proposta é selecionar pessoas para atuar como agentes de programa local de inovação. As notícias são da Tevê TEM - Rio Preto Araçatuba.

"Já estão abertas as inscrições para profissionais interessados em atuarem como orientadores e agentes no Programa Agente Local de Inovação. Para a região noroeste paulista, as vagas são em José do Rio Preto, Tanabi, José Bonifácio, Novo Horizonte, Guapuaçu, Cedral, Uchoa, Ipiguá, Catanduva, Irapuã, Urupês, Potirendaba, Mirassol e Jaci.
Os agentes bolsistas devem ser recém-formados, serão contratados pelo CNPq e capacitados pelo Sebrae. Durante 24 meses, eles vão conhecer, avaliar e acompanhar micro e pequenas empresas, sob a orientação de um gestor local. 
As inscrições devem ser feitas por internet, no site da instituição responsável pela seleção."

terça-feira, 5 de março de 2013

Cachorro atirador.

Cão policial dispara revólver acidentalmente nos EUA. Ao que tudo indica não houve feridos nem humanos nem animais.

"O cão policial Ivan, de 3 anos, disparou uma arma acidentalmente durante uma operação de busca em Middleton, no estado americano de Massachusetts.O tenente John Pickles disse que Ivan, um pastor alemão, estava procurando uma arma suspeita em um banco de neve quando acidentalmente puxou o gatilho com sua pata, disparando um tiro.
Ninguém, nem humano nem canino, se feriu, segundo o policial."
Com informações:

A presidente Dilma lamenta a morte do venezuelano Hugo Chávez.


Luana Lourenço
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A presidenta Dilma Rousseff lamentou hoje (5) a morte do presidente da Venezuela, Hugo Chávez. Para ela, a perda do presidente venezuelano deixará um vazio no coração, na história e nas lutas da América Latina.
“Hoje, lamentavelmente, infelizmente e com tristeza, eu digo para vocês que morreu um grande latino-americano, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez. Essa morte deve encher de tristeza todos os latino-americanos, os centro-americanos”, disse a presidenta, antes de discursar no 11º Congresso Nacional de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais.
Dilma cancelou a viagem que faria quinta-feira (7) à Argentina e deve comparecer ao velório de Chávez. O governo venezuelano ainda não divulgou informações sobre as últimas homenagens e o sepultamento.
A presidenta elogiou a liderança de Chávez na Venezuela e seu comprometimento com o desenvolvimento não só de seu país, mas da América Latina. Dilma ressaltou que, apesar de não concordar integralmente com as posições políticas de Chávez, o governo brasileiro reconhece a importância do venezuelano para o continente. “Em muitas ocasiões, o governo brasileiro não concordou integralmente com ele. Porém, hoje, como sempre, reconhecemos nele uma grande liderança, uma perda irreparável e sobretudo um amigo do Brasil, um amigo do povo brasileiro.”
Ela disse que lamenta a morte de Chávez como presidenta e como “pessoa que tinha por ele um grande carinho” e elogiou a generosidade do presidente. “Além de liderança expressiva, o presidenta foi um homem generoso com todos aqueles que neste continente precisaram dele”. Após as palavras, a presidenta pediu um minuto de silêncio em homenagem a Chávez. O minuto de silêncio foi seguido de uma salva de palmas.
Chávez morreu hoje em Caracas, aos 58 anos, vítima de complicações de um câncer na região pélvica. Em dezembro do ano passado, ele foi submetido a uma cirurgia em Havana. Suas últimas imagens, em fotos ao lado das filhas no hospital, foram divulgadas há duas semanas.
O anúncio da morte de Chávez foi feito pelo  vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em pronunciamento em rede de rádio e televisão. Em outubro do ano passado, Chávez foi eleito para o quarto mandato consecutivo. Ele ficaria no poder até 2019.
Edição: Nádia Franco
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...